Cuidados Odontológicos | Mamãe e Bebê (nos primeiros dias)

A atenção odontológica aos bebês se inicia ainda na gestação. A gestante precisa se preparar para a chegada do bebê de duas maneiras: cuidando da própria saúde bucal e adquirindo conhecimento sobre o crescimento e desenvolvimento da saúde bucal do bebê para fazer as escolhas certas no momento oportuno. 

Por isso, é muito importante que a futura mamãe procure um dentista com esse enfoque logo no início da gravidez. O ideal é consultar um profissional, ou uma equipe de profissionais que tenha experiência com o universo mamãe- bebê, pois esses são os dentistas que saberão qual o melhor período gestacional para se fazer os procedimentos, qual o melhor anestésico a utilizar, se pode ou não realizar radiografias ou mesmo se o tratamento pode ser postergado para após o nascimento do bebê. O segundo trimestre é o período mais indicado para os tratamentos, em função do maior conforto da paciente. 

O dentista irá avaliar as condições de saúde bucal da gestante. A presença de infecções na gengiva ou a presença de cárie podem comprometer a saúde materna e a sua qualidade de vida. Além de causar desconforto, se não tratados, podem trazer dor e acarretar tratamentos mais longos e complicados. Muitas vezes, essas doenças acometem a futura mãe em função do descuido com a própria higiene bucal, pois esta passa a ser secundária em um momento repleto de mudanças e adaptações. Porém, é notória e bem descrita a variação hormonal transitória nessa etapa da vida, e isso se reflete em uma tendência ao sangramento das gengivas e, portanto, requer uma atenção especial.   

Manter uma dieta equilibrada e com os nutrientes essenciais é muito importante para manter a futura mãe saudável e para a formação e desenvolvimento do bebê.  Sua dieta durante a gestação também pode afetar os dentes do seu bebê. Eles começam a se formar durante a sexta semana da gestação, e o primeiro molar permanente aproximadamente no quinto mês de gestação. 

Concluída a etapa de cuidados com a mãe, ao se aproximar do final da gestação, é importante que ela receba orientações sobre a saúde bucal do bebê. 
Conforme lei federal, publicada em 2014, todas as crianças nascidas em hospitais e maternidades brasileiros devem fazer o Teste da Linguinha (avaliação do frênulo da língua do bebê). O objetivo é identificar se o frênulo lingual limita os movimentos da língua, que são importantes para sugar, mastigar, engolir e falar.

Segundo a AGOPED (Associação Gaúcha de Odontopediatria), a maioria dos bebês com anquiloglossia são assintomáticos e não apresentam nenhuma alteração de função, especialmente alterações relacionadas à amamentação nessa faixa etária. A prevalência dessa condição é baixa, varia de 2 a 5%, e o diagnóstico dessa condição é questionável. Portanto, antes de qualquer decisão, a mãe deve consultar o Odontopediatra frente ao teste positivo.

A gestante deve ser estimulada ao aleitamento materno, pois este é o alimento mais completo, de modo que o bebê realizará um exercício oral que estimulará todos os seus músculos orais, promovendo a respiração nasal, fala e o desenvolvimento das arcadas dentárias e articulações temporo- mandibulares. Assim, é importante que o seu bebê faça esforço ao sugar. 

Se o bebê precisar usar a mamadeira, o dentista orientará sobre como escolher uma. É essencial usar uma mamadeira com bico anatômico. Quanto ao uso da chupeta, esse é um assunto polêmico e controverso. O ideal é aguardar a pega do seio e o desenvolvimento da amamentação natural para, então, oferecer a chupeta. Em relação à remoção desse hábito, o melhor momento de retirar a chupeta depende da maturidade física e emocional da criança. O Odontopediatra orientará em relação às modificações causadas na arcada dentária. 

Odontopediatra, Dra. Renata Franzon

Artigo escrito pela Odontopediatra, Dra. Renata Franzon.
Quero agradecer toda a atenção e carinho que Dra. Renata dispensou para escrever esse artigo para o site do Tio Gu! Muito obrigado, Dra. Renata! Tenho certeza de que essas dicas e conhecimentos irão esclarecer muitas dúvidas que as mamães possuem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *