Luisa | Newborn – 11 Dias

Depressão Pós Parto, uma montanha russa de emoções
– Por Dra. Aline Friedrichs de Souza, gastroenterologista pediátrica

O nascimento de um filho é um dos momentos ​mais felizes na vida das mulheres, mas, também, pode ser um dos ​mais tristes​.

Para a maioria das mães, os primeiros dias depois do parto representam uma ​montanha russa emocional​. Momentos de extrema alegria se alternam com momentos de sintomas depressivos incluindo ansiedade, irritação e tristeza. O chamado ​“baby blues” ​tem seu pico entre o segundo e o quinto dia pós parto e, na maioria das mulheres, passa rapidamente.

Em algumas exceções, o “​baby blues” não vai embora. Para algumas mulheres, os sintomas depressivos não passam ou se desenvolvem alguns meses depois do parto.

Um artigo publicado recentemente no ​New England Journal of Medicine (NEJM)​, escrito pelo dr Stewart e pelo dr Vigod, demonstra que esta condição afeta de 6,5 a 12,9% das novas mamães.

Acredita-se que a causa da depressão pós parto (DPP) esteja relacionada à ​queda abrupta dos hormônios em mulheres com suscetibilidade à depressão. Entretanto, a causa dessa doença não é bem estabelecida. O fator de risco mais bem definido é a ​história prévia de transtorno do humor não tratado (ansiedade e depressão). Mulheres com depressão durante a gestação têm 7X mais risco de apresentar DPP. Outros fatores que contribuem para a DPP são​ pouco suporte familiar e dificuldades financeiras​.

Os sintomas da DPP costumam ser autolimitados, ou seja, duram um período específico, mas, até 20% das mulheres com DPP podem seguir necessitando de tratamento a longo prazo.

É fundamental estar alerta para os sintomas de DPP. Nas consultas de revisão com o obstetra e com o pediatra é muito importante checar sinais de DPP. Muitas mulheres sentem ​vergonha de falar sobre isso e temem a ​pressão social e familiar​ associadas ao diagnóstico.

Os sintomas mais típicos de DPP são:
– distúrbios do sono
– ansiedade
– irritabilidade
– sentir-se sobrecarregada
– preocupação excessiva com a saúde a alimentação do bebê

Precisamos lembrar que muitos destes sintomas podem ser normais, principalmente depois de uma noite em claro cuidando de um recém nascido. O que leva ao diagnóstico da DPP é a intensidade destes sintomas e como eles limitam as atividades diárias da mãe. Os autores do artigo reforçam a necessidade de tratamento e apoio para as mães com suspeita de DPP, mesmo que elas não apresentem sintomas graves da doença. O ​suporte psicológico precoce para as mulheres com risco de DPP é fundamental para reduzir as chances de desenvolver a doença.

Para as mães em risco ou com DPP leve, o tratamento indicado é:
– suporte psicológico
– grupos de apoio
– visitas domiciliares de equipes de enfermagem

Caso não haja melhora com estas intervenções ou se a DPP é moderada a grave, indica-se psicoterapia ​e, em alguns casos, ​medicações antidepressivas​. A preocupação mais comum nesta situação é a segurança do uso de antidepressivos durante a amamentação​. Os inibidores da recaptação de serotonina são as drogas de escolhas na DPP enquanto amamentando. Neste momento, é fundamental o ​apoio psiquiátrico constante para as mães que precisam de medicação e estão amamentando. As mamães não devem usar medicação sem orientação médica.

A chave para o sucesso na prevenção e no tratamento da DPP é o ​diagnóstico e intervenção precoces​. Muitas mulheres não percebem que estão com DPP ou sentem dificuldade em procurar ajuda. Por isso, a pesquisa de DPP deve ser feita com todas as puérperas (novas mamães) e todas devem ser encorajadas a não manter em segredo os sintomas de DPP.

— Agradeço à Dra. Aline por todas as informações aqui descritas. Agradeço também, toda a equipe médica do Espaço de Saúde Pediátrico (NH), por todo o suporte de conhecimento que, carinhosamente, fornece para o Tio Gu! Gratidão!

Vamos às fotos dessa fofura chamada Luisa?! Muito obrigado, papais Wesley e Fabi, pela confiança de tantos anos em meu trabalho. Agradeço pela amizade que vocês nos oferecem desde a época do casamento de vocês! Saibam que vocês são pessoas muito queridas por mim e pela Paty, pois são pessoas do bem, lutadoras, corretas e tão, tão divertidas!!! Desejo que a Luisa seja abençoada com muita saúde, pois sei que mais nada faltará para ela, se depender de vocês. Parabéns, amigos!!! Sejam ainda mais felizes com essa pequenininha linda nos braços!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *